Gays vão pro inferno?

Acredito num valor, que procuro observar sempre: a honestidade. Em tudo em o ser humano faz, sente, percebe, atua.

Nós, que somos homens mas não sentimos atração sexual por mulheres, sabemos que não escolhemos ser como somos. Ser honestos conosco, então, começa por aceitar essa realidade. E trabalhar a partir daí.

Se Cristo voltasse à Terra, não creio que nos condenasse. Porque Cristo nunca condenou ninguém, mas procurou, com Sua Palavra, Seu Exemplo, convidar todos para o caminho do bem.

Nenhum de nós é mau por ser gay. Podemos ser, somos, bons ou maus, como qualquer ser humano. Em geral, humanos como somos, trazemos conosco sempre um pouco de luz e alguma escuridão.

Não sabemos porque nascemos assim, mas é certo que o fato de não sermos como a maioria, sofrermos discriminações, rejeições — muitas vezes començando pela família — é uma oportunidade de evolução. Começando por aprender a não fazer com o outro o que fazem conosco. Esse é um dos aspectos positivos dessa “condição”.

A forma como um ser humano faz sexo deveria ser algo irrelevante aos semelhantes, deveria dizer respeito somente à própria pessoa e àquela com quem divide os momentos de prazer sexual, físico. No futuro, cada vez mais, será assim.

As igrejas, quase todas, usam a Palavra para condenar coisas que, na verdade, são os homens que condenam. E, muitas vezes, por motivos nada nobres.

O que será que temem tanto na gente? Contágio? Então, seria possível que alguém mudasse suas preferências, orientação, sua sexualidade, simplesmente por influência do meio? Não creio. Cada um absorve do meio em que vive aquilo com o que se identifica. E aí sim, pode estar o problema: a visibilidade dos gay, a admissão de sua existência como coisa normal poderia tirar o grande peso da repressão das almas que sofrem, muitas vezes ainda sem saber que não carregam em si nada de errado, simplesmente por não sentirem atração pelo sexo oposto. Simplesmente por se sentirem atraídos, por impulsos desconhecidos e absolutamente naturais, em si, pelos humanos que nasceram com seu mesmo sexo. Em outras palavras: admitir a existência dos gays como coisa natural poderia levar aqueles que são, mas se reprimem, a se desnudarem para a vida, a viverem suas verdadeiras vidas.

Mas a pergunta básica continua: porque isso deve representar ameaça a quem quer que seja? A humanidade não vai ser extinta por isso. Especialmente porque, sabemos todos, aqueles que têm comportamento distinto do nosso nascem em número bem maior, e já se encarregam de povoar este mundo, até mais do que deveríamos…

Não consigo ver argumentos plausíveis para nossa rejeição. Uma humanidade que não rejeita a miséria, que não rejeita a brutalidade e o crime, preocupa-se em condenar algo que diz respeito exclusivamente à vida íntima de cada um…

Querem esses, se deixássemos, jogar-nos no inferno desde já. Que deve ser como vivem, por exemplo, gays em estados fundamentalistas.

PS: Eu não acredito em inferno. Não como um lugar onde ficariam os condenados, eternamente. Os infernos, ou o que poderíamos assim chamar, são muitos. Inclusive a própria Terra pode ser um deles. Mas isso é outra história…

Anúncios
Esse post foi publicado em Direitos Humanos, Gay, Homofobia, Religião, Sexualidade e marcado . Guardar link permanente.

8 respostas para Gays vão pro inferno?

  1. Junior disse:

    O problema é que as religiões contra-argumentam que a ciência não provou que a homossexualidade é congênita. Segundo eles, o que há são estudos sem nenhuma base científica. Trocando em miúdos, querem é nos manter no rol de pecadores para não perderem uma parte de seus recursos, ops, fieis. Estou aporrinhado de ver religiosos incluírem a homossexualidade nos seus exemplos de perversão ou promiscuidade. Têm que mudar isso. Se acham que safadeza é pecado que assim seja, mas para qualquer ser humano, hetero ou homossexual.
    Ótimo o seu texto.
    Abraços.

  2. Alex Martini disse:

    Pois é, não foi (nem será?) provado que é congênita.
    Nem tampouco, o contrário.
    A verdade é que as origens permanecem obscuras. Muitas teorias, desde Freud e outros, todas respeitáveis, mas a verdade é que só quem é (nós) sabe que a gente nasceu assim. Alguns demoram para se aperceber, a maioria ainda mais para se aceitar, mas a verdade (para mim) definitiva é que não se trata de opção.
    Afinal, quem optaria, se pudesse, pelo caminho mais difícil?
    Quer dizer que, se um dia fosse provado que se trata de algo congênito, eles (os pregadores), nos aceitariam, nos perdoariam?
    Seguindo esse raciocínio, quando forem identificadas (não sei se já foram, se serão) as bases genéticas da psicopatia, por exemplo, então os psicopatas também serão aceitos como pessoas normais? Aliás, normais não é palavra apropriada. Eu diria, pessoas que têm atitudes antisssociais. Que não é, nunca foi, o caso dos gays.
    Acho mesmo, que está na hora da gente se libertar do que pensam os outros e vivermos nossas vidas.
    Afinal, a quem deve importar o que eu faço na cama?

    Em tempo: experimente ser gay, mas contribuir financeiramente com uma instituição dessas… Será aceito pela maior parte delas. O discurso muda…

    Experimente ser gay e padre. A instituição poderá acobertá-lo (bem, agora dizem que não mais, mas foi assim por séculos…)

    Enfim, mais do que bases científicas, deveríamos buscar o fim da hipocrisia…

  3. felipessan disse:

    Sou cristão protestante desde que me entendo por gente. De uns 2 anos pra cá, comecei a rever meus conceitos sobre várias coisas. Rompi definitivamente com esse sistema religioso hipócrita que impõe barreiras ao imensurável amor de Deus. Fico com muita raiva ao ver, na tv principalmente, o evangelho ser reduzido à milagres e aos dogmas. O maior milagre acontece todos os dias, que é estarmos vivos, e, apartir daí, saber colher as pequenas alegrias que, frequentemente, passam desapercebidas em nosso cotidiano. Muitas pessoas se decepcionam com Deus em grande parte devido a estes calhordas.

    Querido, concordo absolutamente com TUDO o que você escreveu (e o faz divinamente bem). É incrível a sintonia de pensamento! rs 🙂
    Estou esperando você aparecer lá no msn! O meu é felipe_djc@hotmail.com
    Abração!

    Deixo aqui algumas dicas de blogs e textos que me ajudaram e continuam me ajudando:
    http://blog.opovo.com.br/domingosalves/jesus-ama-as-pessoas-a-quem-voce-odeia/?doing_wp_cron

    http://poucoalem.blogspot.com/2010/02/o-que-voce-faz-mesmo-na-cama.html

    http://www.ricardogondim.com.br – Site do pres. da Betesda, Igreja na qual congrego.

    • Alex Martini disse:

      A pior coisa que nos fazem é nos excluir de Deus, quando Ele, em nenhum momento, excluiu nenhum de seus filhos de nada.
      Na verdade, nos deu toda a liberdade para que, vivendo nossas vidas, segundo as condições dadas, pudéssemos descobri-Lo.
      E não há nada maior do que essa descoberta. Uma verdadeira libertação.
      Eu não sou contra nenhuma prática religiosa. Até tenho a minha, por convicção. Mas não aceito mais que outros se arvorem em mensageiros de Deus. Nem me apego às condenações e indiretas que sempre ouço, em todos os locais. “Eles não sabem o que falam”, nem do que falam, nem sobre quem falam, nem o que sentimos, nem quanto sofremos.
      Creio, sinceramente, que Deus fala diretamente ao coração de cada um.
      Hoje vejo nossa “condição” como uma oportunidade única para evolução espiritual. Preferia que não fosse essa a condição, mas já que é, e é a única que conheço, procuro ser feliz, como todo filho Dele, com as condições que me foram dadas. E sei que é possível.
      Não me sinto mais um pecador.

      P.S.: Obrigado pelas dicas dos blogs. Vou conferir com calma.

  4. Vim aqui para agradecer por ter assistido e aprovado meu vídeo no meu vlog “Isso é Phoda”, de início fiquei meio em dúvida se montava um vlog diferente dos que eu vejo, os vlogs que assisto tem coisas legais, mas muitos são com palavrões e também minimizando os outros, então pensei em montar um que fosse, não só para LGBT, mas sim para todos, todos os seres humanos como eu e que querem um mundo melhor. Hoje tenho a certeza de que quero continuar postando, pois tenho visto pessoas como você que assistem e me elogiam. Muito obrigado, vc também se expressa muito bem e de uma forma que todos possam entender! Parabéns…

  5. bluMan ;) disse:

    vc sabe que eu adoro temas do tipo.
    ja refleti bastante.
    ja pensei que é conveniente pra nós pensarmos que o certo é ser bom e isso basta.
    mas assim não poderíamos viver em paz com a sociedade na qual nascemos.
    e muitas vezes eu dou graças a Ele pela comunidade que nasci. poderia ser pior.
    hehe

    acho que é um assunto que nunca acaba…

  6. teendf disse:

    olá querido,
    primeiro obrigado pela citação, segundo, desculpe pela falta de tempo de comentar em seus posts com tanta participação quanto você comenta nos meus.
    Quanto ao fato de gays irem ou não para o inferno, bem, eu acredito no inferno, no céu, em Deus, e tudo isso, mas acredito tambem na misericordia dele…Eu me conheço, bem o suficiente pra saber que não sou estúpido o suficiente para poder escolher ser gay, mas aprendi a conhecer Deus o suficiente pra aprender que ele me ama do jeito que eu sou, e eu acho que o sentimento acolhedor disso, do ‘como eu sou’ faz com que as coisas fiquem menos dificeis…PARABENS PELO BLOG, e mais uma vez obrigado!

  7. Diego disse:

    De fato são muitas perguntas sobre a homoafetividade das pessoas ,
    mas sem duvida alguma não somos gays porque queremos sr , mas sim por que nascemos assim… a fazer o bem realmente é o que devemos todos sem excessão devemos fazer.. paz a todos….

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s