Música – Thomas Tallis

Começando a temporada do carnaval, embora nada contra, vou na contramão.

Ouvi Thomas Tallis recentemente, ao acaso, curiosidade despertada pela leitura de alguma coisa sobre Gregório Allegri, posterior, mas praticamente da mesma época (séculos XVI e XVII). Aliás, ainda estou conhecendo, aos poucos. Porque, por mais que eu goste, não é música que dá pra ouvir toda hora.

Allegri, e particularmente seu Miserere é uma das peças a quem recorro sempre que fico meio sem chão — coisa que é até meio frequente –, quando meu coração ameaça sair pela boca, todas as vezes que um sufoco terrível toma conta do meu peito, que o desespero chega e diz que não vai mais embora, que o otimismo se esvai, que a crença desaparece, que a tristeza quer vencer a alegria. Sempre que sinto necessidade de me ligar a algo que chamo divino porque é sublime, vai além da minha compreensão, além da minha parca razão, além do mundo egoísta e mesquinho, além das palavras, além da visão, além de tudo que eu pudesse compreender. Momentos em que preciso sair, voar, e que só consigo atingir, experimentar, em condições normais e sozinho, com a ajuda da música.

Gosto muito desta gravação do Misere: pelo Westminster Choir. Aqui, um trecho.

Outras de Thomas Tallis você pode encontrar pela Internet. (Aqui é possível ouvir alguns segundos de algumas obras) Ainda estou conhecendo a obra dele, mas tenho gostado particularmente de “Spem in alium” e “Mass for 4 voices”.

Anúncios
Esse post foi publicado em Arte., Música. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Música – Thomas Tallis

  1. Gay Incomum disse:

    Sei bem como são esses momentos.
    Também tenho passado com muita frequência por eles.
    Mas sempre temos aquele refúgio, aquele amparo que nos segura firme e diz: ei, ainda dá tempo, vc pode mudar isso.
    Gostei do Miserere.
    Acho que é porque estou meio sem chão ultimamente. rs
    Ele traz paz, quietude, um olhar reflexivo para dentro.
    Muito bom!

    Abraço, amigo!

  2. Cesinha disse:

    Nossa… que coisa linda! Vou pesquisar também. Não conheço muito de música erudita. Em especial tem um compositor que amo de paixão e tenho tudo dele: Gustav Mahler… você conhece?

    Meu lindo, seu blog é muito “classudo”… coisa pra poucos…

    Abração.

    • Cesinha, confesso que não conheço quase nada de Mahler. Nunca me dediquei a ouvi-lo com atenção, só mesmo no rádio, eventualmente.
      Mas vou anotar a dica e conhecer melhor.
      Sou meio limitado, e geralmente gosto de música mais antiga.
      Bach é quase sempre meu porto seguro.

      Bondade sua o comentário!

      Abração.

  3. é legal ter algo pra poder ouvir/ler/fazer qndo se está sem chão…

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s