A velocidade do espaço digital me assusta e me afasta, cada vez mais, do mundo.

Matéria de jornal – Sugestão de leitura

“O novo tempo dos originais on-line”, por Miguel Sanches Neto, no Valor.

“Somos empurrados para a frente, vivendo na verdade um presente sem fim, versão tecnológica do velho sonho de eternidade.”

A velocidade do espaço digital me assusta e me afasta, cada vez mais, do mundo. Ou, talvez, me aproxime muito rapidamente de outro mundo.
Se antes nunca dei conta nem mesmo das leituras em papel, hoje em dia, mal dou conta de acompanhar três ou quatro blogs, escolhidos a dedo (com meus dedos, claro).
Hoje, descobrimos, navegando, pessoas maravilhosas, lindas, inteligentes, que tanto têm a nos dizer, pessoas que, há dez anos, jamais conheceríamos, jamais poderiam se desnudar na praça, nessa imensa e pública praça que é a Internet.
Sim, é positivo e bom tudo isso, mas não sei onde vamos parar, como será o mundo daqui a cinquenta anos.
Chego da dar graças por imaginar que, pelo bem ou pelo mal, não estarei aqui pra conferir…

Além da velocidade, temos a quantidade, a facilidade de publicação, o que permite, inclusive, que gente comum, que antes jamais pensaria em escrever o publicar, faça as duas coisas. Sem custos. E também sem leitores, a maioria de nós.

Afinal, o tempo é tão pouco para tantas palavras que tanta gente boa produz…

Anúncios
Esse post foi publicado em Internet, Leitura de jornal, Ser blogueiro. Bookmark o link permanente.

8 respostas para A velocidade do espaço digital me assusta e me afasta, cada vez mais, do mundo.

  1. margot disse:

    É verdade Alex…. a tecnologia avança a passos gigantescos, a ponto de não conseguirmos acompanhar. é o presente, ou seria o futuro?, nos forçando cada vez mais a olhar pra frente, pra frente…. caminhando é que se chega…. mas estou a ponto de descer do trem e me alojar em uma vilazinha qualquer… na paz e no sossego.
    Será que consigo?????

    Beijos querido…. e não suma.

  2. Também estou nessa busca, Margot. Não do último avanço da tecnologia, da busca desenfreada por mais e mais, mas dessa vilazinha de paz e sossego… Minha única dúvida: existe, ainda, tal vilazinha, à qual nunca pertenci? e, existindo, terei eu tempo de lá chegar? Enquanto isso, façamos disso aqui mesmo nossa vilazinha particular. Busquemos o sossego e a paz no meio da corrida. Fico na arquibandada, espero o tempo passar… Abraços
    P.S. O sumiço temporário tem muito a ver com a incapacidade de acompanhar tudo isso, apenas!

  3. não entendo pq isso te afasta, eu sinto q me aproxima do mundo, de um mundo bem maior do que teria sem a internet.

    • As pessoas são diferentes.
      Claro que a Internet aproxima. Sei que muitos gostam de ficar conectaods 24 horas, celular no cinema, torpedos enquanto veem um filme, e-mails no ônibus, falar ao celular enquanto dirigem, publicar no Facebook a cada hora, tuitar cinquenta vezes ao dia, sei lá mais o que existe por aí.
      Cada um na sua…
      Esse ritmo me cansa. Só isso.

  4. Cesinha disse:

    É verdade… essa sensação de rapidez, inclusive com relação ao tempo, é assustadora! Será que é a grande quantidade de informações que dispomos hoje, aliada a nossa ânsia de querer se informar de tudo, o que faz com que vivamos imersos nessa urgência de tudo? Eu tento, sempre que possível, me afastar disso e me isolar, em contato direto com a natureza e respirar… apenas isso.

    Beijos… por favor, não fique tanto tempo sem dar o ar da sua graça! E lembre, precisando, você sabe onde me encontrar…

    • Essa tecnologia toda tem um lado maravilhoso: o contato com pessoas como você!
      Mas, objetivamente, acho que a tecnologia só promove e exacerba aquilo que o ser humano já traz em si.
      E isso serve para competitividade, alienação, fuga, busca de conhecimento… tudo. O segredo é saber dosar o e ver o espaço digital como uma ferramenta, né?, e não como um fim em si mesmo. Um meio de viver melhor, não um único e último jeito de viver.
      No mais, é buscar nossa vilazinha de paz e sossego…
      Abração

  5. Lucas disse:

    O Cesar tem razão ao citar a quantidade de informações que somos bombardeados a todo momento. Isso, segundo os psicólogos, causa essa impressão de que tudo está caminhando mais rápido. O outro fator, ao que consta, é a idade da pessoa. Para os mais jovens o tempo “passa” mais lentamente. Não sei… pra mim tá voando!

    Beijos.

    • Pra mim, também, Lucas. Voando.
      Outro dia, perguntei ao meu pai, já com quase oitenta, se ele sentia assim.
      Ele me falou que o tempo vai cada vez mais rápido, quanto mais velho, mais rápido.
      E olha que ele vive completamente à margem dessa corrida desemfreada, desse bombardeio de informações que nos atinge e tenta nos prender todos os dias, todas as horas…

      Beijos

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s